Livro, Resenhas
Comentários 14

Estímulo para escritores reticentes

“A verdade sobre o caso Harry Quebert”, do suíço Jöel Dicker, foi lançado no Brasil recentemente. A contracapa da edição brasileira e suas duas páginas iniciais estão recheadas de elogios publicados na imprensa, e a avaliação nas redes sociais – lê-se Goodreads e Skoob – passa das 3 e 4 estrelinhas, respectivamente. Bem, eu gostei do livro. Já o vinha namorando há um tempo nas prateleiras por causa da capa, que não sei porque me conquistou. Mas o que me fez gostar mesmo dele foi outra coisa: Ele é o estímulo perfeito para escritores reticentes como eu. E só não digo que ‘me serviu como uma luva’ porque luvas nunca me serviram muito bem.


Marcus Goldman é um jovem escritor que, com a fama e riqueza repentinas de seu primeiro livro, se afunda num bloqueio criativo. Em busca da cura, ele recorre ao seu ex-professor e mentor Harry Quebert, escritor de sucesso indiscutível, autor do aclamado “As origens do mal”. E então é claro que coisas acontecem, e entra em cena outra história: O desaparecimento da adolescente Nola, ocorrido há 33 anos, volta à tona. E para além do fato de quem matou quem – eu tenho certeza de que você deve estar pensando nisso -, intercalam-se, a cada capítulo, os ensinamentos de Harry a Marcus ainda na época da faculdade. E é nesses momentos que os dedos começam a coçar querendo voltar a escrever (pelo menos foi o que aconteceu comigo). Por exemplo:

– Eu gostaria de lhe ensinar a escrever, Marcus, não para que você saiba escrever, mas para que se torne um escritor. Porque escrever livros não é nada: todo mundo sabe escrever, mas nem todo mundo é escritor.
– E como vou saber que sou um escritor, Harry?
– Ninguém sabe que é escritor. São os outros que nos dizem isso. (Pág. 56)

– De verdade, Harry, como alguém se torna um escritor?
– Sem nunca desistir. Preste atenção, Marcus: a liberdade, a aspiração à liberdade, é uma guerra por si só. Vivemos numa sociedade de burocratas resignados e, para sair desse marasmo, é preciso lutar ao mesmo tempo contra si próprio e contra o mundo inteiro. A liberdade é um combate a cada instante, do qual pouco temos consciência. Nunca irei me resignar. (Pág. 124)

E pronto, inicia-se o formigamento dos dedos querendo escrever. Levei quase dois meses para ler esse livro, limitada basicamente aos 30 minutos de fisioterapia no joelho. Foi o livro certo no momento certo. Quem sabe meu apreço pela capa tenha sido fruto de algum sexto sentido feminino?

A_VERDADE_SOBRE_O_CASO_HARRY_QUEBERT_1397667963BTítulo original: “La verité sur l’affaire Harry Quebert”
Autor: Jöel Dicker
Páginas: 576
Editora: Intrínseca
Tradução: André Telles
Sinopse: Aos vinte e oito anos Marcus Goldman viu sua vida se transformar radicalmente. Seu primeiro livro tornou-se um best-seller, ele virou uma celebridade e assinou um contrato milionário para um novo romance. E então foi acometido pela doença dos escritores. A poucos meses do prazo para a entrega do novo original, pressionado por seu editora e por seu agente, Marcus não consegue escrever nem uma linha.
Na tentativa de superar seu bloqueio criativo, Marcus decide passar uns dias com seu mentor, Harry Quebert, um dos escritores mais respeitados do país. É então que tudo muda. O corpo de uma jovem de quinze anos – desaparecida sem deixar rastros em 1975 – é encontrado enterrado no jardim de Harry, junto com o original do romance que o consagrou. Harry admite ter tido um caso com a garota e ter escrito o livro para ela, mas alega inocência no caso do assassinato.Com o intuito de ajudar Harry, Marcus começa uma investigação por contra própria. Uma teia de segredos emerge, mas a verdade só virá à tona depois de uma longa e complexa jornada.Um extraordinário livro de suspense, uma história de amor e um thriller excepcional, A Verdade Sobre O Caso Harry Quebert escapa a todas as tentativas de descrição. Nada do que você leu antes poderia prepará-lo para este livro.

14 comentários

  1. Também acho essa capa sensacional e quis muito ler esse livro quando ele foi lançando. Mas aos poucos fui lendo algumas resenhas que diziam que o bafafá todo era só por puro marketing da Intrínseca e acabei desistindo de comprar. Você me animou para dar uma nova chance ao Jöel Dicker! o/ Beijos!

    http://www.bibliophiliarium.com

    Curtir

    • Tici, um amigo meu me deu a definicao perfeita pra esse livro: Não é nenhuma obra prima literária, mas prende. E é isso mesmo, a trama nos prende e fica ecoando dentro da gente por algum tempo ainda.

      Curtir

  2. Nossa, amei esse texto!
    Tocante para quem gosta de escrever, principalmente para alguém que está começando como eu!
    Gostei especialmente dessa tua transcrição:
    “- Eu gostaria de lhe ensinar a escrever, Marcus, não para que você saiba escrever, mas para que se torne um escritor. Porque escrever livros não é nada: todo mundo sabe escrever, mas nem todo mundo é escritor.
    – E como vou saber que sou um escritor, Harry?
    – Ninguém sabe que é escritor. São os outros que nos dizem isso. (Pág. 56)”

    Fiquei muito tentada a ler o livro!

    Tu tem um banner, algo assim? Pra eu colocar no meu blog para a parceria?
    Meu e-mail é akmoraes91@gmail.com
    beijos

    https://happinessandlucky.wordpress.com/

    Curtir

    • Opa, ainda bem que gostou! Quando tiver oportunidade, leia esse livro, é capaz de você gostar bastante. Sobre o banner, eu tinha. Mas troquei o layout do blog há dois dias e ainda não fiz um banner novo… Assim que fizer, entro em contato contigo! Beijinho!

      Curtir

  3. andersonhgo diz

    Seria bom ter um mentor para essas horas de bloqueio ou de quase desistência, mas a verdade é que a vida do escritor é um tanto solitária. Comigo a sensação é recorrente: a cada novo texto parece que será o último. É sofrido e trabalhoso. Por vezes, perde-se horas em um único parágrafo.

    Vou colocar o livro na minha lista. Parece interessante.

    Ah, gostaria de ler um livro seu. Um conto que fosse.

    Beijos,
    Anderson

    Gostaria de ler algo seu, um conto, que fosse.

    Curtido por 2 pessoas

    • Anderson, feliz ano novo! 🙂
      Acabei ficando longe dos afazeres blogueiros e só pude responder seu comentário agora. Olha, reuni todos os meus textos (crônicas, contos, poemas, etc) na categoria “Experimentos” (www.literasutra.com/category/experimentos-literarios). Na medida em que for escrevendo mais, vou acrescentando diretamente lá.
      Aliás, eu não estou conseguindo visualizar seu site ao clicar no seu nome. Me ajuda?
      Um abraço,
      Mona

      Curtir

      • andersonhgo diz

        Olha que coisa: apenas hoje, navegando em seu site, descobri uma série de respostas suas a comentários meus. Vi que fica tudo organizado em um link. Eu sou péssimo com essas coisas. Não pense que foi descaso, ok? Foi só falta de habilidade com essas maravilhas tecnológicas. Meu site (eu acho que você já descobriu, é?): anelisasangravaflores.blogspot.com.br.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s