Mês: março 2015

Um ano de Toda Poesia

Navegando pela internet, entre vídeos de gatinhos e vlogs de humor, cuidado: Você pode se deparar com o Toda Poesia, e então será amor à primeira vista. O canal do youtube, que hoje completa 1 ano de vida, reúne uma diversidade incrível de pessoas declamando os mais diversos textos e já conta com mais de 5 mil inscritos. “Tudo é poesia e toda poesia nos interessa”, diz Guilherme Pina, um dos idealizadores do projeto, que carrega ares de Leminski, mas não foi necessariamente inspirado no poeta. “Nós só lembramos do livro do Leminski quando já estávamos no ar. Inicialmente o canal se chamaria ‘Tudo é Poesia’, mas resolvemos encurtar para ficar mais abrangente e direto. Então escolhemos ‘Toda Poesia’ justamente por assumirmos que qualquer conteúdo que venha da palavra escrita pode ser considerado poesia”, ele conta. De fato. Nem só de poetas reconhecidos vive o projeto. Entre eles está MC Bob Rum, cujo “Rap do Silva” foi ressuscitado pela interpretação da escritora e fotógrafa Julia Maria Ferreira – que, aliás, assina a assistência de produção do canal. …

[TAG] Desafio Betty Edwards #1 – Desenhe sua selfie

Senhoras e senhores, é com muito prazer que apresento-lhes a primeira tarefa do #DesafioBettyEdwards! Você gosta de desenhar? Gostaria de aprender? Então ele foi criado especialmente (e com muito carinho) pra você! Betty Edwards é a autora do livro “Desenhando com o lado direito do cérebro”, cuja mensagem central diz: “Qualquer pessoa pode desenhar”. Achou um papo muito louco? Clique aqui e entenda! Bem, eu tenho o livro e resolvi compartilhar os exercícios com vocês. Este é o primeiro. Vamos lá? Quem me acompanha nessa tag?

Vídeo compara primeira e última cena de grandes filmes

E se examinássemos somente o primeiro e o último plano de um filme? Com essa pergunta surgiu um vídeo que está fazendo sucesso entre os amantes de cinema. “First and Final Frames” faz exatamente isso: Coloca lado a lado as cenas de abertura e finalização de obras como “O Poderoso Chefão”, “Cisne Negro” e “Garota Exemplar”. E é claro que o resultado é impressionante.

[TAG] Liebster Award

Já tive duas fases blogueiras, separadas por um hiato de alguns anos. Uma delas é a atual, neste blog que vos fala, e a primeira foi dos 13 aos 19 anos, aproximadamente. No início da primeira existia uma coisa chamada meme, que eu imagino que tenha mudado de nome por causa do conceito de memes que conhecemos hoje. Enfim, recentemente descobri que  agora, no mundo blogueiro, “tag” é o novo “meme”. E não é que , inesperadamente, fui convocada para participar de um?

A Metaliteratura de Carola Saavedra

“Everything is autobiographical, and everything is a portrait, even if it´s only a chair” (Tudo é autobiográfico e tudo é um retrato, mesmo que seja apenas uma cadeira) Lucian Freud Fui apresentada a Carola Saavedra por “Flores Azuis”, seu terceiro livro publicado, que há um ano me fisgou durante uma visita à livraria. Mas ainda não consigo falar sobre ele – sua história e personagens, tudo ainda reverbera em mim, e é impossível escrever com clareza enquanto se desce ou sobe a crista de uma onda (embora seja durante este movimento que a inspiração me surge). Então, para não frustrar minha vontade de escrever sobre a autora, vamos falar de “O inventário das coisas ausentes”, meu segundo contato com ela. Há algo na escrita de Carola que me prende e influencia – tanto que é impossível não usar a primeira pessoa quando falo de sua obra. Grande parte deste “algo” fica por conta dos personagens; peculiares e tão absurdamente bem construídos, é impossível não criar empatia por eles. Nina, por exemplo, que faz o tipo que tem lá …

10 anos me aproximaram de ‘O Senhor dos Anéis’

De vez em quando eu me pego assistindo aqueles reality shows sobre acumuladores, e de repente sou envolvida por um clima de renovação, do tipo resolução de réveillon, que me faz limpar os meus armários. Dessa vez, pela primeira vez na minha vida, o de roupas não foi suficiente pra aplacar minha vontade – e então eu ataquei minhas prateleiras de livros. O que aconteceu no meu quarto a seguir teve proporções inimagináveis.