Mês: abril 2015

Um belíssimo romance histórico

Alheia às comemorações de réveillon, uma avó conta sua história de vida para a neta. Assim começa “Uma Praça em Antuérpia” que, com sua narrativa não-linear transitando entre presente e passado, conta a saga das gêmeas Olívia e Clarice na fuga do nazismo. Uma história sobre as várias formas de amor e sua capacidade de, sem licença para metáforas, transformar duas pessoas numa só. Escrito pela carioca Luize Valente, o livro é um romance histórico. Ou seja, tudo nele é real: datas, locais, notícias de jornal, tudo é fruto de um exímio trabalho de pesquisa, com a exceção dos personagens centrais, criados pela autora como uma espécie de licença poética para conseguir retratar a época em questão. “O mais repugnante, ela dissera, é que os alemães estavam chocados com os incêndios e a depredação, mas não com o fato de judeus serem vítimas de ataques e agressões físicas” (Pág. 137) Embora trate de um tema amplamente explorado, esta não é apenas mais uma obra sobre a Segunda Guerra Mundial. Pelo contrário, se destaca e prova que o assunto …

Escrita a oito mãos, seis delas fictícias

Transcendendo o significado da expressão, “Os Contos de Beedle, o Bardo” é um livro-brinquedo. “Livro” porque livro, e “brinquedo” por ser extremamente divertido, com um bônus para quem consegue mergulhar no faz de conta junto com a autora. Isto porque J.K. Rowling assume 3 vozes distintas na obra: A de Beedle, autor dos contos infantis; a do bruxo Dumbledore, cujas anotações particulares foram incorporadas a esta edição; e a própria J.K. Rowling, responsável por adaptar o livro para os trouxas (não-bruxos) – sem contar a personagem Hermione Granger que, segundo a sinopse, traduziu os contos direto das runas originais. Trata-se do mesmo livro mencionado em “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, uma espécia de ficção dentro de outra ficção. Ao todo são 5 contos, sendo os dois últimos os melhores, incluindo “O Conto dos Três Irmãos”, que conta o surgimento das relíquias da morte: a Varinha das Varinhas, a Pedra da Ressurreição e a Capa da Invisibilidade. No universo criado pela autora, este pequeno livrinho que não toma mais que poucas horas de leitura é um livro …

Uma casa muito engraçada, sem teto, sem nada

“Terra de Casas Vazias” surgiu na minha vida com a intensidade do que é comprado por impulso. Relativamente curto, durando de dois a três dias de leitura (para alguém que só lê antes de dormir), sua narrativa é extremamente sedutora. Mais voltado aos aspectos psicológicos dos personagens que aos acontecimentos ao seu redor, o livro te pega de jeito e lá se vai, eternamente responsável por mais um leitor que cativa. Trata-se do quarto romance de André de Leones, autor brasileiro nascido em Goiânia. Segundo ele, até agora este foi o livro que mais lhe deu trabalho para escrever, mas que ao mesmo tempo foi o que mais lhe rendeu respostas positivas. Obviamente não sem motivo: “Terra de Casas Vazias” é uma obra consistente, com boa trama e personagens muito bem construídos: complexos, cheios de nuances e particularidades.  “Foi até o quarto da mãe, que, estirada na cama, assistia ao telejornal, e disse: – O gás está vazando. O gás está vazando e vamos todos morrer. Isadora olhou para ela, como se suspirasse e dissesse “Marcela..” e depois suspirou e disse: – …

Nas bancas: Tim Burton em Mangá!

Quem acompanha o Literasutra no instagram já deve saber a novidade: A editora Abril lançou há pouco tempo um mangá de “O Estranho Mundo de Jack”, uma adaptação da versão cinematográfica de Tim Burton. Soube do lançamento graças à Vânia, do Zombie Effect, e duas horas depois eu já tinha um para chamar de meu. E, sim, ele é lindo! ❤ O mangá já havia sido lançado em outros países, e a adaptação ficou por conta da japonesa Jun Asuka, que respeitou a história original. É coisa pra tirar qualquer fã do sério: As falas são as mesmas, e você praticamente ouve as músicas enquanto lê. No entanto, e acredito que isto se deva ao formato, o mangá não é tão rico quanto a animação. Sabe quando um livro vira filme e todo mundo reclama que isso ou aquilo foi deixado de lado? Fiquei com a impressão de que quando um filme vira mangá, muito mais coisas surgem para serem reclamadas. De qualquer forma, ele é lindo. Página por página, da direita para a esquerda, vemos a história de Jack …

Eu preciso que eles melhorem

Sempre que eu ouço alguém falando desses garotos e garotas com tanta raiva, eu me lembro daquele menino. Franzino, a altura não passava do meu tórax, hoje ele deve estar maior, quase com 16. Vinha num grupo de cinco, quatro talvez. Todos sorridentes, correndo, pés no chão, as pernas magricelas desafiando a física. Passou por mim, recém-saído da sombra do poste. O peito nu combinando com a sombra escura do poste. Passou por mim e agarrou minha correntinha de ouro, arrancou-a do meu pescoço ao mesmo tempo em que me chamava de gostosa e soltava um sorrisinho, o talento para várias tarefas simultâneas. Mas ele parou de correr, eu olhando pra trás, a mão direita segurando os três dedos de cicatriz que ele me deixou. Ele olhou pra trás, bem sério, tinha uma faquinha na cintura. Um menino de 8, 9 anos com uma faquinha na cintura. Sozinho, muito magro, muito sujo. Parou, olhou pra trás, meu olhar puxou o dele. Uma conexão inusitada, não mais que um segundo expandido pela nossa percepção, realidade paralela. Até que “Corre, muleke!” de …

[TAG] Desafio Betty Edwards #2 – Desenhe sua mão

Eis o segundo desafio desenhístico, minha gente! E esse geralmente produz resultados surpreendentes. Se você gosta de desenhar ou gostaria de aprender, a tag #DesafioBettyEdwards foi criada especialmente pra você! Regras/Como participar: 1. Os exercícios serão postados todas as sextas-feiras no Literasutra (www.literasutra.com) 2. Recomenda-se o uso de lápis preto nº 2 e/ou 4B Ao postar os seus exercícios (vale blog, facebook, instagram): 3. Marque a hashtag #DesafioBettyEdwards 4. Dê os créditos ao blog Literasutra (www.literasutra.com), onde surgiu o desafio. Dessa forma mais gente tem acesso à tag e pode participar! 5. Ao final de cada exercício, convide 5 blogs para participarem (esta parte não é obrigatória) Desafio Betty Edwards #2 – “Minha Mão” Se você for destro, desenhe sua mão esquerda na posição que preferir. Se for canhoto, desenhe sua mão direita. Quando terminar, coloque um título, data e assine o desenho. Obs.: Este é um desenho preliminar. Ele servirá como comprovação do seu progresso. Os próximos exercícios virão acompanhados das instruções da Betty Edwards, autora no livro. Minhas impressões: A maior dificuldade que tive nesse desenho foi ter que deixar uma …