Livro, Resenhas
Comentários 24

Mistério em terras afegãs

Especializado em jornalismo internacional, Igor Gielow migrou o conhecimento adquirido ao longo dos seus muitos anos como correspondente e escreveu um romance. Publicado há pouco tempo pela Editora Record, “Ariana” é a cria que guarda semelhanças com o criador: Mark Zanders, o protagonista, é um jornalista brasileiro a serviço de um jornal londrino no Afeganistão.

Sobrevivente de um atentado, é ainda entre os escombros que o protagonista recebe a grande missão de sua vida: “encontrar Ariana”. Quem lhe dá as fracas coordenadas é seu assistente agonizante, e então começa sua saga. Mark se compromete a encontrar aquilo que lhe poderá trazer muitas respostas. Ariana, aparentemente um nome de mulher… Mas encontrar uma única mulher no meio de um Oriente Médio em guerra? Nada fácil.

“Deve haver tratados científicos sérios, poesia de qualidade e muita música pop lacrimosa escrita sobre esse momento, em que algo acontece a duas pessoas completamente distintas que as aproxima irresistivelmente” (Pág. 32)

A história, sem dúvidas, é instigante. Pontuado por muita ironia, drama e suspense, o livro acompanha a trajetória de um jornalista sarcástico que se envolve num jogo político dos mais complexos, com direito  à presença perigosa da milícia Talibã. No entanto, apesar da premissa, o miolo pode desanimar. A impressão é de que muitas coisas poderiam ter sido contadas de outra forma, abreviadas ou simplesmente cortadas.

Além disso, Mark Zanders não faz o tipo de protagonista capaz de gerar empatia incondicional. Lá está ele, espécie de herói contemporâneo a quem se permite suas falhas e defeitos, mas ainda assim falta-lhe algo. Quem sabe, se não fossem pelas excessivas ereções de Mark e seus pensamentos que pendulam muitas vezes entre preconceito e egoísmo, ele teria me cativado. Obviamente, um livro narrado por um personagem desses apresenta uma visão estritamente masculina. E sim, isto incomoda e pode desestimular, mas ao final ela mostra seu propósito. Nosso protagonista, ao final de tudo, recebe sua lição. Resumindo: “Ariana” é um bom livro, mas não tão bom a ponto de merecer uma releitura.

Capa Ariana.cdr“Ariana”
Autor: Igor Gielow
Editora: Record
Páginas: 350

*Livro cedido em parceria com a editora.

24 comentários

  1. Oi!! tudo bem?
    O GER lança uns livros assim bem legais, né?
    Eu acho que não gostaria desse, no entanto. Visão muito masculina não é comigo… Pelas dicas que você deu poderiam ser até machistas, não sei, porque não li. Mas só isso já me faz querer evitar.
    Beijo

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s