Livro, Resenhas
Deixe um comentário

O terror monótono de Peter Straub

Quando Steven Spielberg disse, durante o lançamento do filme, que “Star Wars Episódio I – A Ameaça Fantasma” era bom, todo mundo acreditou e foi correndo para os cinemas. A decepção com a prequel de uma das sagas mais amadas da cultura pop é tão conhecida que se tornou até piada. Stephen King na capa de “Um Passado Sombrio” me lembrou o caso de Spielberg. O mestre do suspense e do terror dizendo “vai lá, pode ler esse livro, é legal” deixa qualquer fã do gênero ansioso. A decepção, no entanto, é proporcional à expectativa.

Peter Straub conta a história de um escritor, Lee Hartwell, que revisita um momento traumatizante do passado com o objetivo de escrever um novo livro. No entanto, para fazer isso, precisa reencontrar os colegas – com quem não fala há anos – e incitá-los a reviver esses momentos também.

A premissa lembra um pouco a trama de “It”, do próprio King, em que um grupo de amigos precisa voltar para a cidade natal quando a entidade que eles supostamente tinham derrotado volta a atacar. O interessante em “It” é a maneira como Stephen King alterna os acontecimentos no tempo presente e no passado de cada uma das personagens. Assim, o leitor pode se conectar com todas as histórias e a narrativa não fica cansativa (frisando que “It” tem mais de 1.000 páginas).

“Um Passado Sombrio”, por outro lado, tem uma narrativa maçante e monótona. O autor perde muito tempo nos pensamentos de Lee Harwell, a história demora a andar e, quando anda, o prometido “terror arrepiante” nunca chega. Mesmo que o desenvolvimento dos personagens seja bom, o fato de Straub parecer focar apenas nisso o tempo todo, impede que o enredo flua naturalmente.

Outro problema é o uso excessivo de adjetivos, advérbios e descrições desnecessárias. Essas são as principais “regras” de Stephen King, abordadas na obra “Sobre a Escrita”. Straub parece que pulou todas elas. As frases são longas. As descrições, muitas vezes bregas. Existem detalhes em excesso e que só atrasam a história. Com uma premissa excelente, “Um Passado Sombrio” prometia ser um livro fantástico. Trabalhar com traumas do passado é sempre interessante. No entanto, Peter Straub não soube trabalhar com o material que tinha nas mãos.

um passado sombrio peter straub resenha“Um Passado Sombrio”
Autor: Peter Straub
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 392

*Livro cedido em parceria com a editora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s