Mês: fevereiro 2017

Eu não sou uma fracassada, eu tenho ansiedade

Eu tenho ansiedade, e ser ansiosa é diferente de ter ansiedade. “Ser ansiosa” serve para quando você quer impressionar numa entrevista de emprego e dizer que é dinâmica e faz as coisas bem rápido. Mas “ter ansiedade” é uma coisa completamente diferente. Por exemplo, eu tenho ansiedade mas não sou ansiosa. Contraditório? Pra caramba. Eu preferia que fosse o contrário. Ansiedade é uma doença. “Isso é transtorno de ansiedade”, o médico vai dizer pra você. E a partir daí você vai ter um nome para todos os seus momentos de insônia, falta de ar, apertos no peito, enjôo intenso (ou fome interminável). E vai descobrir que o cardiologista não tem nada a ver com esse seu coração que, de repente, acha que precisa bater os batuques de toda uma vida em um único segundo. “Você, sendo você, é a melhor pessoa para se enganar e também a melhor para cair na sua própria enganação como um patinho.” Se você for como eu (e eu recomendo que nesse caso você seja), você vai procurar um psicólogo. E vai …

A mesma pessoa

A mesma pessoa que te ajuda e te faz um bem enorme é a mesma que pode, em poucos segundos (talvez uma conversa de duas horas ao telefone), trazer todos os seus problemas de volta. Há alguns dias eu vi um quadrinho em que um personagem dizia “É preciso acreditar na palavra das pessoas”, e o outro respondia: “Eu prefiro acreditar nas atitudes”. Queria ter aprendido isso antes. *Foto: Esra Roise