Experimentos, Literatura
Deixe um comentário

Eu canto

Quanto estou feliz, eu canto
O que geralmente faço no meu canto
O mais particular possível, sabe
Nem chuveiro, nem aula de canto
Só no canto da minha mente

Aí um dia ele veio, fiquei feliz, saí do canto
Cantei feito passarinho
Cantamos juntos, um dueto bem bonito
E ele desafinou, o meu canto o irritou
Minha felicidade ao lado dele não fazia mais sentido

Mas quando estou feliz, eu canto
Hoje cantei, sabe
Um dueto diferente

Este post foi publicado em: Experimentos, Literatura

por

Espécime da safra de 89. Recentemente descobriu que não consegue escolher uma coisa só, então alterna a vida profissional entre as funções de jornalista e fotógrafa. Criou o projeto fotográfico "Uma Pessoa Por Dia", onde consegue mesclar as duas coisas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s