Mês: agosto 2017

Clube da Escrita: Primeiro Desafio

O Clube da Escrita é um projeto deste blog/canal literário que vos fala, criado com o propósito de reunir pessoas legais que querem desbloquear a criatividade e treinar a escrita. Se você nunca tinha ouvido falar sobre ele, eu recomendo que clique neste link e assista ao vídeo introdutório! Mas se você já sabia de tudo e inclusive está participando, primeira coisa: você arrasa! Segunda coisa: chegou a hora do PRIMEIRO DESAFIO! Você pode escrever o seu texto e guardá-lo no canto mais recôndito do seu computador ou no fundo de alguma gaveta. Mas o ideal é que compartilhe o resultado com todo mundo! E para isso é só participar do nosso grupo maravilhoso lá no Facebook (clica aqui, isso é um link, é pra clicar mesmo). Boa sorte para todos! 🙂 Anúncios

Entre para o Clube da Escrita e escreva com pessoas maravilhosas

Há poucos dias criei oficialmente o Clube da Escrita. O objetivo é reunir pessoas legais que gostem de escrever e desejam treinar a escrita criativa. Em outras palavras, um grupo de apoio contra a procrastinação e o boicote (assuntos nos quais eu já poderia ter um doutorado). Durante esse pouquíssimo tempo o grupo já rendeu muito aprendizado e diversão, e ainda tem espaço para mais gente! 🙂 Se você se interessar, este vídeo explica em tudo em detalhes: Não esqueça de se inscrever no canal e ativar as notificações para não perder nenhum desafio do clube! ❤

“O Segredo de Heap House” poderia ser um filme do Tim Burton

“Todos aqui cresceram com os montes de sujeira em volta, ao lado e dentro de si mesmos” Escrito e ilustrado pelo inglês Edward Carey, O Segredo de Heap House (Crônicas da Família Iremonger) nos apresenta a um universo de fantasia um tanto peculiar. Heap House é a residência (mais apropriadamente chamada de casarão) da família Iremonger. Curiosamente, a casa fica no topo de uma montanha composta por objetos esquecidos (ou descartados), mais conhecidos como Cúmulos. É neste cenário que se passam as histórias de Clod, um Iremonger legítimo, e Lucy Pennant, órfã recém-chegada à mansão. Algumas pessoas são rudes, outras são sensíveis, e Clod tem sensibilidade suficiente para lhe permitir ouvir os nomes dos objetos — não que ele esteja extremamente confortável com essa habilidade bizarra. Logo ao nascerem, os Iremonger ganham um objeto que os acompanhará por toda a vida; no caso de Clod, o objeto é um tampão de banheira cujo nome o garoto ouve muito bem o tempo todo: James Henry. Não é preciso tempo para perceber que Edward Carey domina a arte …

Uma Magia Mais Real

Eu nunca fui muito fã do gênero “fantasia”, mas me lembro de quando li “Harry Potter e a Pedra Filosofal”. Aquele mundo fictício de Londres tinha uma lógica interna que absorveu completamente a atenção de um garoto de 11 anos. Eu queria saber qual era a minha casa e minha varinha. “O Enigma de Blackthorn” te leva para uma Londres tão pitoresca quanto, mas muito mais realista. Eu prometi a mim mesmo não traçar paralelos entre o aprendiz de bruxo e o aprendiz de boticário, mas isso acabou se tornando inevitável. Em vez de nos levar para um beco retrô, “O Enigma de Blackthorn” nos joga direto no passado: O livro se passa em Londres pouco tempo depois da Revolução Inglesa, com as tensões políticas a flor da pele. O livro faz um bom trabalho em descrever como eram a vida naquela época. A sujeira, o fedor e a medicina questionável pintam um quadro bastante preciso, e não é nada de se sentir inveja. Ainda assim, parte da graça do livro é sentir nojo de …