Canal Literasutra, Filme
Deixe um comentário

De Neil Gaiman a Machado de Assis: O que assistir no Festival do Rio?

O Festival do Rio de 2017 já tem data marcada: de 5 a 15 de outubro o Rio de Janeiro sediará mais uma edição do festival de cinema, exibindo filmes de mais de 60 países diferentes. Para te ajudar a montar uma programação infalível, o Literasutra fez uma lista de filmes que tratam sobre o universo literário. Divirta-se!

Assista abaixo vídeo com dicas de filmes baseados em livros que serão exibidos durante o festival:

ROBERTO BOLAÑO: A BATALHA FUTURA CHILE (Roberto Bolaño: La batalla futura Chile)
de Ricardo House. Chile / Espanha, 2016. 63min.
Roberto Bolaño foi considerado por seus pares o mais importante autor latino-americano de sua geração. Seu romance póstumo 2666, lançado originalmente em 2004, é considerado sua obra máxima, tendo sido altamente aclamado pela crítica especializada desde então. Este é um olhar atento sobre o prestigiado escritor e a turbulência provocada por seu estranho relacionamento com o Chile, seu país de origem, retratando-o através de seus amigos, sua ironia e seu gênio, com um importante material de arquivo inédito e entrevistas gravadas no México, Espanha e Chile.

KARINGANA — LICENÇA PARA CONTAR
de Monica Monteiro. Com Maria Bethânia, José Eduardo Agualusa, Mia Couto. Moçambique / Brasil, 2017. 73min.
Maria Bethânia leva pela primeira vez o seu ensaio poético até Moçambique. A intérprete apresenta trechos de obras conectadas com diferentes formas de expressão em língua portuguesa. Com depoimentos de Mia Couto, José Agualusa e de diversos escritores e críticos de Moçambique e Angola, o documentário apresenta o desenvolvimento da literatura nos dois países, tratando de sua importância na resistência à colonização, a conexão com os idiomas nativos, as tradições orais e a influência de escritores brasileiros.

CARTAS PARA UM LADRÃO DE LIVROS
de Carlos Juliano Barros, Caio Cavechini. Brasil, 2017. 96min.
Laéssio Rodrigues de Oliveira é considerado pelas autoridades o maior ladrão de livrosraros do Brasil. Não é uma trajetória comum a do jovem balconista de padaria, obcecado por papéis antigos, que passa a frequentar altas rodas de colecionadores de arte e, depois, os cadernos policiais. Mas a decisão de contar essa história gera dilemas para os quais nem Laéssio nem o próprio documentário estavam preparados. Ainda que por caminhos tortos, Laéssio evidencia a necessidade de o Brasil cuidar de sua própria história.

SLAM: VOZ DE LEVANTE
de Tatiana Lohmann, Roberta Estrela D’Alva. Brasil, 2017. 97min.
Plateia, poetas, poemas próprios e jogo de cintura: essa é a formula dos Poetry Slams, campeonatos performáticos de poesia falada que vêm se espalhando pelo Brasil. Nascidos em Chicago, eles fomentam a organização das comunidades em torno do encontro, da livre expressão e da escuta. O filme testemunha o crescimento da cena brasileira desde 2008, viaja às origens nos EUA e acompanha a campeã brasileira de 2016, Luz Ribeiro, até a Copa do Mundo de Slam em Paris, representando a nova onda feminista e negra que tem se firmado pela virulência poética do verbo politizado.

A VENDEDORA DE FÓSFOROS (La vendedora de fósforos)
de Alejo Moguillansky. Com María Villar, Walter Jakob, Helmut Lachenmann, Margarita Fernandez, Cleo Moguillansky. Argentina, 2017. 70min.
A pequena vendedora de fósforos, personagem do conto do autor dinamarquês Hans Christian Andersen, morre de frio na véspera do Ano Novo. O burro Balthazar, de Robert Bresson, muda de dono de tempos em tempos, até ter um fim trágico. A impossível reconciliação entre um soldado alemão e uma delicada pianista argentina que toca sem encostar nas teclas. Helmut Lachenmann tenta montar uma ópera no Teatro Colón durante a greve de transportes de Buenos Aires. No meio disso, Marie e Walter tentam sustentar sua filha com o salário irrisório que a música lhes proporciona.

VIDA EM FAMÍLIA  (Vida de Familia)
de Alicia Scherson, Cristian Jimenez. Com Jorge Becker, Gabriela Arancibia, Blanca Lewin, Cristián Carvajal. Chile, 2017. 80min.
Bruno e sua família deixam sua casa no Chile para uma viagem de três meses pela França. Durante sua ausência, é Martín, primo de Bruno, que ficará no comando da casa e do gato da família. O animal desaparece e Martín conhece Pachi, por quem rapidamente se apaixona. Para conquistá-la, ele inventa que a casa é dele, que tem um filho, mas está divorciado. A versão de sua nova vida faz sucesso com Pachi, mas como ele dará conta de bancá-la quando a realidade voltar de férias? Baseado em um conto de Alejando Zambra, adaptado pelo próprio autor.

UNICÓRNIO
de Eduardo Nunes. Com Barbara Luz, Patrícia Pillar, Zécarlos Machado, Lee Taylor. Brasil, 2017. 123min.
Maria, uma menina, está sentada num banco ao lado de seu pai. A conversa que eles têm ali conduz a narrativa do filme: acompanhamos a história na rústica casa de campo, onde ela mora com a mãe e onde as duas aguardam a volta deste mesmo pai. A relação entre Maria e a sua mãe muda com a chegada de um outro homem. Baseado em dois contos de Hilda Hilst, “Matamoros” e “Unicórnio”.

YOGA ARQUITETURA DA PAZ (On Yoga the Architecture of Peace)
de Heitor Dhalia. Com Deepak Chopra, Sadhu Vijay Giri, Dr. Dean Ornish, Nevine Michaan. Brasil / Estados Unidos / Índia / China, 2017. 87min.
Baseado no livro homônimo do fotógrafo Michael O’Neill, este documentário conta a história dos dez anos em que o autor fotografou os grandes mestres da ioga. Criado como uma profunda extensão do livro original, o filme aborda questões muito humanas da nossa perspectiva atual, misturando-as com elementos de movimento e som experienciais, resultando em uma nova visão da arte da ioga.

EX LIBRIS: BIBLIOTECA PÚBLICA DE NOVA YORK (Ex Libris : New York Public Library)
de Frederick Wiseman. Com . Estados Unidos, 2017. 197min.
Depois de mais de 50 anos voltando seu olhar documental para as instituições da sociedade norte-americana, o cineasta Frederick Wiseman (Crazy Horse, Em Jackson Heights) dedica seu novo filme a uma de suas maiores paixões, os livros, através deste retrato íntimo da New York Public Library e seus frequentadores. Entre aulas de braile, encontros de clubes de livro, coquetéis para levantamento de fundos e reuniões administrativas, Wiseman observa as muitas camadas de uma complexa metrópole.

SEVERINA
de Felipe Hirsch. Com Carla Quevedo, Javier Drolas, Alejandro Awada, Alfredo Castro.. Brasil, 2017. 103min.
A vida de um livreiro, melancólico e aspirante a escritor, é abalada por uma enigmática mulher que rouba em sua livraria. Logo ele se enreda no mistério de um amor delirante e obsessivo. Este filme é uma sondagem do efeito alienante do amor e do poder libertador do perdão. Baseado na obra de Rodrigo Rey Rosa.

A COMÉDIA DIVINA
de Toni Venturi. Com Murilo Rosa, Monica Iozzi, Dalton Vigh, Juliana Alves, Thiago Mendonça. Brasil, 2017. 98min.
Abalado por sua baixa popularidade, o Diabo resolve vir à Terra fundar sua própria igreja. Os pecados são virtudes e devem ser estimulados. Utilizando a televisão, o Coisa Ruim potencializa seu poder de sedução para difundir a nova religião. Raquel, uma jovem e ambiciosa jornalista, é uma das primeiras a cair sob seu domínio. Baseado no conto “A Igreja do Diabo”, de Machado de Assis.

 LA VITA IN COMUNE
de Edoardo Winspeare. Com Gustavo Caputo, Antonio Carluccio, Claudio Giangreco, Celeste Casciaro, Davide Riso. Itália, 2017. 110min.
Em Disperata, uma pequena cidade no sul da Itália, o melancólico Filippo Pisanelli se sente terrivelmente incompetente em seu papel de prefeito. Somente seu amor pela poesia e sua paixão pelas leituras que faz aos detentos da região dão algum alívio a seu estado de depressão. Na prisão, ele conhece Pati, um ladrão de galinha também nascido em Disparata. O ladrãozinho e seu irmão sonhavam em se tornar os chefes da máfia de Capo di Leuca, mas o encontro com a literatura muda tudo, e uma amizade incomum surge entre os três, potencializando escolhas corajosas.

ORLANDO – A MULHER IMORTAL (Orlando)
de Sally Potter. Com Tilda Swinton, Billy Zane, Quentin Crisp. Reino Unido / Rússia / Itália / França / Holanda, 1992. 94min.
O nobre Orlando é condenado pela rainha Elizabeth I a permanecer eternamente jovem, atravessando os séculos experimentando vidas, parceiros e sentimentos. Após participar por 400 anos da história da Inglaterra como homem, Orlando volta à vida no corpo de uma mulher da nobreza. Nesta etapa de sua jornada sem fim, aprenderá sobre a vida e o amor, enquanto se aproxima mais intensamente do próprio sexo. Uma viagem onírica pela história da Inglaterra baseada no romance feminista de Virginia Woolf, com Tilda Swinton.

CONTOS DA BIRMÂNIA (Burma Storybook)
de Petr Lom. Com Maung Aung Pwint. Myanmar, 2017. 81min.
A democracia ainda engatinha em Myanmar, antiga Birmânia, país que encerrou em 2011 uma ditadura militar de 50 anos. Este documentário nos apresenta o país à luz da poesia, forma de arte muito apreciada por seus nativos, centrando-se na figura do famoso poeta e ativista Maung Aung Pwint, que passou boa parte de sua vida adulta na prisão. Hoje já em idade avançada e sofrendo da doença de Parkinson, ele sonha em se reencontrar com seu filho, que emigrou para a Finlândia 20 anos atrás. Em um admirável mundo novo, o poeta tenta responder à pergunta: “como curar nossos corações?”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s