Autor: Marcelle Pacheco

As muitas Evas de Martha Mendonça

Sou uma apaixonada por crônicas e contos. Luis Fernando Veríssimo me ensinou a amar as histórias curtas que exalam vida quando eu tinha 15 anos e ganhei um exemplar de “As Comédias da Vida Privada”.  Lembro claramente da empolgação com as histórias – engraçadas e comoventes – ao mesmo tempo em que a já aspirante à jornalista ficava impressionada com a capacidade de falar tanto em tão poucas palavras. Como aqueles personagens, que às vezes nem tinham nome, pareciam tão reais, tão palpáveis? Martha Mendonça, jornalista, uma das cabeças por trás do site Sensacionalista, do novo Zorra (TV Globo) e autora de outros três livros pela Editora Record, mostra em seu “Filhas de Eva” tudo aquilo que vi em Veríssimo. Um domínio impressionante da linguagem, humor afiado, mas também um enorme coração em cada personagem que passa pelas páginas. Cada conto tem um adjetivo para a mulher que será personagem principal. Elas, no entanto, são mais do que apenas estereótipos que costumamos ver/ler ao se falar de mulher. Anúncios

O terror monótono de Peter Straub

Quando Steven Spielberg disse, durante o lançamento do filme, que “Star Wars Episódio I – A Ameaça Fantasma” era bom, todo mundo acreditou e foi correndo para os cinemas. A decepção com a prequel de uma das sagas mais amadas da cultura pop é tão conhecida que se tornou até piada. Stephen King na capa de “Um Passado Sombrio” me lembrou o caso de Spielberg. O mestre do suspense e do terror dizendo “vai lá, pode ler esse livro, é legal” deixa qualquer fã do gênero ansioso. A decepção, no entanto, é proporcional à expectativa.