Todos os posts com a tag: Grupo Editorial Record

“Felicidade para Humanos” – Afinal, o que é felicidade?

Lidar com situações onde é evidente a complexidade das relações humanas sempre é algo que chama atenção e traz alguns momentos reflexivos. Imagine ler sobre a busca por um relacionamento ideal acompanhado de um amigo que é nada mais nada menos uma inteligência artificial em desenvolvimento? O livro “Felicidade para humanos” apresenta a história da Jen, uma mulher de trinta e quatro anos que acabou de terminar um relacionamento, e a sua relação com o Aiden, um programa de computador que está sendo desenvolvido pela empresa onde ele trabalha. Recém solteira e passando por um dos momentos mais tristes da sua vida, Jean vai contar com apoio do seu programa de computador para seguir a sua vida. Anúncios

A biografia de Marina Abramovic vai te ensinar o que é arte e performance

Mesmo que você nunca tenha ouvido falar em Marina Abramovic, ela provavelmente já passou pela sua timeline. Uma mulher de vestido longo e cabelos pretos trançados está sentada, sozinha, numa cadeira no centro de uma roda de pessoas. De repente, um homem se aproxima e senta-se na cadeira que está à sua frente, e a cena que segue emociona não somente o casal, mas todas as pessoas que assistiram e compartilharam o vídeo incessantemente nas redes sociais. O vídeo em questão é um trecho do filme “Marina Abramovic — A artista está presente”, que documentou a exposição da artista sérvia realizada em 2010 no MoMa de Nova Iorque. O homem cuja aparição a emociona é Ulay, que durante 12 anos foi seu companheiro e parceiro de performances. “É incrível como o medo é embutido em você, por seus pais e por outras pessoas que o cercam. Você, no início, é tão inocente. Você não sabe.” Esta e outras histórias envolvendo a artista, reconhecida por muitos como “a avó da performance” devido aos quase 50 anos de …

“O casal que mora ao lado” não convence

“As pessoas são capazes de qualquer coisa”, diz a capa do thriller policial da escritora canadense Shari Lapena. De fato, esta frase diz muito sobre o livro em questão. Publicado recentemente no Brasil pela Editora Record, “O casal que mora ao lado” parte do sequestro de uma bebê para abordar questões como a ganância e o egoísmo. Mas o que começa de forma promissora acaba se perdendo em meio a personagens mal justificados e situações forçadas. Uma pena. Compre o seu clicando aqui e ajude o Literasutra a crescer!

Uma Vela Para Deus

Deus está morto e Terry Eagleton é o detetive que, investigando o caso, chegou à conclusão de que [alerta de spoiler] não, não foi o Coronel Mostarda na sala de música com um castiçal. O título provocativo “A Morte de Deus na Cultura” faz uma alusão à famosa frase de Nietschi Niecthe Nietzsche, filósofo mais citado e mal interpretado por meninas de 16 anos no instagram e pintores frustrados que tentaram estabelecer o Terceiro Reich Alemão. O que me fez querer ler esse livro foi uma curiosidade um tanto cética quanto ao título: é impossível passar um dia sem ficar frustrada com algo que a bancada evangélica fez ou disse no congresso, da mesma forma que notícias sobre os conflitos entre grupos fundamentalistas religiosos no oriente médio não param de chegar. Como alguém pode afirmar que vivemos numa cultura sem religião? Já nas primeiras linhas do prefácio Eagleton esmaga meus questionamentos: “O leitor que considera a religião tediosa, irrelevante ou ofensiva não precisa se intimidar com meu título. Este livro fala menos de Deus que …

O poder das preliminares

“Os Invernos da Ilha”, romance de estreia de Rodrigo Duarte Garcia, é um livro de aventura com direito a tesouro de pirata e duelo de sabre, mas sobretudo sobre aquela busca incessante e interminável pelo sentido da vida. Sua excelente narrativa, conduzida por personagens muito bem desenvolvidos, faz o autor ultrapassar a classificação de apenas “promissor”; Rodrigo merece ser lido.

O livro que você precisa ler

Algumas coisas são decisivas para identificar se um livro é realmente bom; aquela linha fina que separa algo satisfatório de uma obra relevante, com força suficiente para chacoalhar e causar uma imersão incondicional na história que nos é narrada. “Distância de Resgate”, romance de estreia da argentina Samanta Schweblin, felizmente pertence à segunda categoria e já tem lugar confirmado na minha lista de preferidos. Compre pelo melhor preço clicando aqui!

3 livros interativos para qualquer pessoa

Se mamilos são polêmicos, os livros interativos não ficam para trás. Com seus espaços para colorir e lacunas para preencher, não é difícil encontrar quem os ame, mas eu não me surpreenderia se houvesse uma passeata de ódio com direito a bonecos infláveis gigantes contra a sua existência. Mas você sabe como é a vida, mesmo entre os assuntos mais polêmicos há aqueles indivíduos que cativam a todos. Então prepare-se para conhecer 3 livros interativos capazes de conquistar qualquer pessoa!

Os anjos do apocalipse chegaram

“Nunca me dei conta da vitória que é simplesmente estar viva.” “A Queda dos Anjos” é o primeiro volume de uma trilogia intitulada “Fim dos Dias”. A partir daí fica fácil deduzir que a trama se passa num cenário apocalíptico, certo? Teoricamente conforme previsto na bíblia, os anjos do apocalipse estão na Terra, e desde que chegaram a vida dos humanos transformou-se ironicamente num inferno. No meio disso tudo está Penryn, uma adolescente que se vê obrigada a amadurecer para cuidar da irmã paraplégica de 7 anos e da mãe esquizofrênica. Mas toda história tem um ponto de virada, e o de Penryn acontece quando encontra – e resgata – um anjo que acabou de ser encurralado e mutilado por seus pares.

Do cinza ao púrpura

Se existisse uma lista de todos-devem-ler, “A Cor Púrpura” certamente estaria nela. Vencedor do Pulitzer e inspiração para o filme homônimo de Steven Spielberg, o romance da norte-americana Alice Walker merece todos os elogios possíveis. Retrato dos Estados Unidos entre guerras, o livro conta a história de Celie, cuja vida foi marcada pelo racismo, machismo e pobreza. “Ela falou, Toda minha vida eu tive que brigar. Eu tive que brigar com meu pai. Tiver que brigar com meus irmão. Tive que brigar com meus primo e meus tio. Uma criança mulher num tá segura numa família de homem.” Nascida em uma cidade segregada, a vida de Celie é um pesadelo. Desde muito nova ela é estuprada pelo pai, com quem teve dois filhos que nunca conheceu. O sofrimento aumenta quando, forçada a se casar com um homem violento, ela se separa da irmã, sua melhor amiga. Mas sua personalidade pacífica – e um tanto submissa – está prestes a conhecer novas formas de viver: uma nova amiga está prestes a chegar; Shug Avery pintará sua vida cinza de púrpura. …

Um mundo sem Sherlock Holmes

Se eu tivesse que descrever o livro em uma palavra, esta palavra seria “reviravolta”. O que não é nada de novo em se tratando de um livro policial. Mas é que a reviravolta ultrapassou a metalinguagem e veio até mim, que começou a ler “Moriarty” achando o livro bobo e que com certeza já tinha lido inúmeros livros de mistérios melhores. Só que a história realmente me surpreendeu e acabou sendo diferente e muito boa. Não estou comparando o autor com os mestres do gênero, mas não fica tão aquém. Então, Sherlock Holmes morreu e agora o que acontece? Criminosos esbanjam confiança na ausência do inspetor, a polícia não sabe nem por onde começar e outros investigadores passam a se dividir em dois grupos: os que acham a morte de Holmes uma chance para brilhar e aqueles que pensam na perda total; da pessoa que ele era e de suas visões brilhantes sobre um fato. A história em si é muito palpável, o personagem que nos conta os acontecimentos, Chase, muitas vezes não percebe uma …